Bermudas, porque sim.

O homem brasileiro sempre gostou de bermudas/shorts, num país onde as máximas raramente ficam abaixo dos 23 graus é difícil viver só de calça. Talvez a mais democrática e por consequência a mais odiada peça do guarda-roupas masculino (junto com a regata) pode ser também um surpreendente coringa na hora de compôr um look.

Existem vários tipos de bermudas, como as cargo, alfaiataria, jeans, shorts e – para os mais corajosos – os short shorts.

Vini-Uehara-26 vini-uehara-look-6 vini-uehara-23 vini-uehara-22 vini-uehara-20 vini1

A minha dica é:

  • Apesar dos variados tipos todas elas requerem uma certa preocupação, vários fatores devem ser analisados como por exemplo: o comprimento da mesma não deve ultrapassar os joelhos, não interessa se ela é um modelo cargo ou jeans e você jura que é o “modelo” dela, o comprimento de dois dedos acima do joelho deve ser obedecido como regra absoluta, o porque é bem simples, uma bermuda comprida demais pode encurtar as suas pernas, achatar sua silhueta, aumentar os quadris e dependendo dos sapatos comprometer um look por completo, e no fim o que nós temos é mais um tiozão que parece ter vindo de um churrasco em 2005.
  • É interessante mencionar que nem todo lugar, é lugar de bermuda. Não interessa o quanto você se considere estiloso, existe hora e ocasião para tudo, a bermuda é uma peça de caráter extremamente casual, embora existam opções de alfaiataria que acompanham blazeres e camisas sociais, seu aspecto e função sempre foi o de garantir conforto e casualidade. Se a ocasião pedir por qualquer coisa além do “traje esporte” fuja das bermudas, sério, fuja mesmo.
  • A bermuda não deve ser muito agarrada e nem muito larga, ela deve garantir a mobilidade do usuário.
  • Na dúvida, opte por padronagens clássicas (poás, listras, xadrez discreto), não corra direto para as estampas florais com papagaios e palmeiras se isso nunca tiver feito parte do seu estilo. O mesmo vale para as cores, não corra para o laranja abóbora sem antes olhar os tons neutros como cinza, preto, branco e os clássicos tons em azul, marrom ou verde.
  • Os tecidos, muita gente fica confusa na hora de escolher uma peça justamente por não conhecer sua composição. Nas etiquetas de todas as roupas, a sua composição vai identificar a porcentagem de cada matéria prima utilizada em sua confecção; particularmente eu recomendo peças de algodão, fibras naturais numa porcentagem maior garantem um conforto maior. No caso das bermudas as de sarja de algodão, linho ou com uma quantidade maior de fibras naturais acabam sendo mais suportáveis no nosso verão.

 

O essencial é saber analisar a si mesmo e identificar o seu estilo, se arriscar sem medo mas com prudência, o estilo de uma pessoa está diretamente ligado com a sua imagem pessoal e com quem ela é.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *